O que eu aprendi viajando quase 3 meses pela Europa

Opa, tudo bem? Passando aqui pra tirar um pouco de poeira.

Como diz o título, hoje eu gostaria de compartilhar com você o que eu aprendi viajando por quase 3 meses pela Europa com a minha família.

Embarcamos dia 10 de Fevereiro de 2019 e retornamos dia 3 de Maio, cheios de saudades dos amigos, da família, mas também muito realizados pela experiência vivida por lá.

Se você tem curiosidade sobre conhecer o velho continente, pegue um cafezinho e chega mais.

Antes de começar, um pouco sobre nosso modo de viagem

A nossa viagem não foi daquelas tradicionais. Queríamos fazer uma viagem mais lenta, ficando nas cidades por mais tempo, reduzindo assim o número de deslocamentos e por consequência os gastos excessivos.

Em uma viagem de férias, os maiores gastos estão em hospedagem, deslocamento e passeios turísticos.

Não nos preocupávamos com os pontos turísticos principais de cada cidade, queríamos tentar viver como os locais, descobrir onde comiam, como se locomoviam e o que faziam para se divertir.

Em 95% por cento da viagem ficamos hospedados em apartamentos alugados por uma plataforma online que eu explicarei depois.

Nos deslocamos entre cidades de ônibus e avião, mas usamos também muito trem, metrô e até mesmo ferry (ou barcas pra quem é do Rio).

E o mais importante: viajamos leve, carregando pouca coisa.

Como a Europa é linda

Começamos nossa aventura por Roma, fazendo uma rápida conexão no aeroporto de Amsterdã.

Fizemos a alfândega em Amsterdã sem perceber, e do nada, estávamos oficialmente na Europa, vivendo nosso sonho.

Falando de Roma, parece como uma cidade cenográfica da Globo. Tudo é perfeito e por isso impactante. Além disso, tem toda aquela carga histórica, que você fica completamente embasbacado.

Ficamos apenas 5 dias em Roma e sentimos medo de que não nos entusiasmaríamos mais com as outras cidades pois Roma é muito linda rsrs.

Mas que nada, cada lugar tem sua beleza peculiar, seus costumes, seu jeito de ser.

Eu me apaixonei por cada uma das cidades que passamos.

A vida real é diferente do noticiário

Eu tenho ainda a mania de acompanhar notícias, principalmente via canais de Youtube de brasileiros que vivem na Europa.

Esse mal hábito faz com que muitas vezes eu tenha uma visão enviesada e deturpada da realidade. Ao menos da minha realidade.

Cada realidade é singular e você só a vive realmente ao se permitir. Você tem total capacidade de destruir a sua experiência ao se permitir viver pela ótica de terceiros.

E para tentar viver uma experiência única, eu decidi me desconectar das notícias para viver um dos momentos mais plenos da minha vida.

Não teve Brexit, “invasão islâmica na Europa”, “coletes amarelos”, nada que pudesse abalar nossa experiência por lá.

Nem as manifestações mais fortes em Paris tiraram nosso humor.

Aliás, no dia Primeiro de Maio foi o recorde de bombas de gás lacrimogênio lançadas pela polícia parisiense contra os manifestantes.

Advinha como eu descobri isso? Amigos do Brasil me avisaram por WhatsApp, pois a notícia passou na TV.

Precisamos de muito menos do que pensamos

Viajamos cada um com uma mochila e uma mala pequena, daquelas que é possível levar na cabine do avião.

Carregamos cada um mais ou menos 15kg distribuídos entre esses dois ítens.

Muitas pessoas nos questionaram sobre como ser possível viver tanto tempo com tão pouca coisa e a resposta é bem simples: lavando roupa toda semana hehe.

Semanalmente procurávamos uma lavanderia daquelas self-service para lavar roupa suja.

Se estávamos por mais tempo em uma cidade, virávamos clientes assíduos de um determinado estabelecimento.

Praticar essa atividade em algumas cidades como Porto e Lisboa foi bem fácil, pois os europeus costumam utilizar o serviço e as lavanderias estão em todo lugar. Em outras cidades menores tivemos dificuldades de encontrar.

Então a depender da cidade, vale avaliar se o local em que se hospeda tem os equipamentos necessários para lavar a sua roupa em casa #fikdik.

O desafio de aproveitar a viagem x trabalhar

Por conta do fuso horário, nós aproveitávamos toda a manhã e início da tarde passeando e explorando as cidades. Nesse período do dia o Brasil ainda estava dormindo, então o fuso horário virou uma vantagem.

E ao final dos passeios, íamos para nossos apartamentos alugados via AirBnb (clica no link para se inscrever gratuitamene e receber até R$ 179 em créditos na sua próxima viagem).

Essa era nossa rotina diária porém devo confessar que a vontade era de seguir explorando as cidades, o dia inteiro.

Eu amo meu negócio, meu trabalho, mas descobri nessa viagem que amo explorar novos lugares, desde observar arquitetura a experimentar novos sabores. É revigorante.

E então, conciliar essa explosão de novidades com as tarefas diárias do trabalho se tornou desafiador pra mim.

Precisei determinar metas diárias e semanais bem claras para não atrasar meus compromissos.

Reduzi minha carga horária para 4 horas de trabalho diários no máximo. Foquei em produtividade.

Foi um dos períodos mais focados e produtivos da minha vida pois aprendi a priorizar e fazer o necessário para cumprir minhas metas.

Se o plano não funcionar, é preciso adaptar

Algumas coisas saíram do planejado e talvez essa seja a melhor parte desse artigo. Vou comentar cada episódio traumatizante que nos ensinou muito.

Em Roma, meu enteado ficou doente e deixamos de realizar alguns passeios agendados. Tivemos que solicitar 2 vezes atendimento médico do seguro.

No entanto, contratamos o seguro para apenas 8 dias. O período de ida e volta do nosso primeiro bilhete de avião era de 8 dias, ficamos com medo de comprar um período maior de seguro e sofrer alguma retaliação na imigração.

Bom depois desse incidente, concluímos que definitivamente precisaríamos de um seguro por mais tempo, porém para a nossa surpresa, contratar um seguro de saúde já estando na Europa é muito mais caro que estando no Brasil.

Nunca faça isso em casa amiguinhos.

Bom, por conta da saúde frágil do meu enteado, cortamos Madrid o início da viagem e fomos direto ao Porto. Lá, teríamos uma estadia gratuita em um apartamento por 10 dias, um oferecimento de um amigo meu.

Porém, quando chegamos lá, descobrimos que o apartamento foi vendido e que não poderíamos ficar nele. Ou seja, estávamos sem hospedagem.

Demos um jeito e ficamos em uma pensão nos dias iniciais até eu poder reservar um AirBnB, mas esse episódio me ensinou algo muito importante: nunca conte com o ovo na cloaca da galinha.

Tiveram também algumas ocasiões em que a reserva da hospedagem ficou para o último dia, mas depois de termos passados por alguns perrengues no início da viagem, passamos a saber controlar melhor nossas ansiedades.

Em resumo, eu posso dizer que os pontos que devemos ter mais atenção é com a hospedagem e com o seguro de saúde. Se você tiver gerenciando isso de forma pró-ativa, sua viagem transcorrerá muito bem.

Próximos passos

Bom, a verdade é que seria muito maravilhoso poder viver como nômades digitais, mas infelizmente ainda não é uma realidade pra gente, por uma série de motivos.

De todo modo vimos que é um estilo de vida viável e queremos novas experiências desse tipo.

Por conta do tempo que as nossas futuras viagens terão, eu passarei a chamá-las de “Incursões Nômades”.

Pretendemos viajar em breve novamente, de forma lenta, buscando respeitas nossos bolsos, mas nos proporcionar viver como locais.

E como estamos no Brasil, tudo indica que a próxima parada será na América do Sul. Eu já estou ansioso por isso.

E você? O que achou desse modo de viagem? Comenta aí e compartilhe esse link com seus amigos que pretendem viajar em breve.

Um abraço.

Até logo, Córdoba querida!

Uma breve análise do WordPress 5.0 e o Gutenberg

Olá pessoal, como estão?
Por aqui esta tudo bem, obrigado por perguntar!

Que ano corrido tivemoshein?

Polarização na política, mudanças no cenário nacional, mas algo me diz que vem coisa boa por aí, principalmente na economia.

Enfim, sei que minhas aparições estão cada vez mais raras nesse local, mas ontem (06/12/2018) tivemos uma grande atualização do nosso CMS querido, o WordPress.

E eu fiquei tão animado que resolvi compartilhar com vocês alguns pensamentos aqui neste humilde espaço.

Não será nada muito profundo, mas quero trazer algumas observações pertinentes, já que trabalho com o CMS há tanto tempo.

O WordPress 5.0 e o Gutenberg

Sempre ficamos animados quando uma versão principal do WordPress é atualizada, ou seja, quando saímos da 4.0 para 5.0, e desta vez não foi diferente.

A grande estrela deste lançamento do WordPress é o novo editor de textos, o Gutenberg. 

Quem trabalha profissionalmente com o WordPress já deve estar acostumado, pois o editor foi liberado como um plugin independente meses atrás.

O objetivo desse pré-lançamento era apresentar a comunidade de usuários do WordPress o novo editor e iniciar a depuração de problemas.

E isso foi feito com maestria, fazendo com que o Gutenberg evoluísse rapidamente para um editor de conteúdo muito robusto.

Adotaram um novo conceito de criação de conteúdo, sendo que tudo agora gira em torno dos blocos – vocês ainda irão ler e ouvir muito sobre os famosos blocos.

A ideia é que seja fácil diagramar textos, imagens e inserir mídias externas durante a produção do conteúdo.

Isso por si só já é um grande avanço, considerando o editor antigo do WordPress.

Também tiveram o cuidado de fazer com que a transformação dos conteúdos criados no editor clássico para o Gutenberg fosse fácil.

Ao editar um artigo antigo, você encontrará a opção de converter o conteúdo em blocos e basicamente só precisará de um clique para a mágica acontecer.

A experiência de uso do Gutenberg esta cada vez mais natural e eu aconselho que você atualize seu WordPress em um ambiente de testes primeiro, tendo certeza que seu site não irá quebrar.

Após realizar todos os testes e se acostumar com o novo jeito de publicar conteúdo, desfrute das novas funcionalidades e reporte possíveis problemas diretamente no repositório oficial do editor.

O tema Twenty Nineteen

Uma atração especial deste lançamento é o novo tema minimalista Twenty Nineteen (este mesmo tema que estou utilizando como teste aqui).

O Twenty Nineteen foi criado como foco em usabilidade e acessibilidade, tornando a experiência de leitura um tanto quanto excelente.

O tema em si não traz tantas possibilidades de customização, mas sua simplicidade o torna elegante e eficaz.

Se quiser saber todos os detalhes dele, confira este artigo em Inglês no blog da comunidade.

O mercado do WordPress

Há muito o que se observar para entender as tomadas de decisão na criação de um novo editor para o CMS e seus efeitos.

Mesmo que 30% dos sites rodem WordPress atualmente, o crescimento dos concorrentes do CMS tem sido acelerado (Wix, Ghost e Squarespace por exemplo).

A Automattic (empresa por trás do sistema de código aberto) sabendo que o modelo de publicação de conteúdo do WordPress não era o ideal, resolveu se mexer.

Para mim fica muito claro que essa foi uma decisão acertada visando o longo prazo para que a empresa e a sustentação ao sistema se mantenha estável como tem sido.

Mas como era de se esperar, as empresas que vivem no ecossistema estão correndo para garantir que seus temas e plugins também sejam compatíveis.

A verdade é que passaremos agora por um período de ajustes até que todo o ecossistema de estabilize novamente.

Isso é devido ao fato do Gutenberg usar novas tecnologias (como o React, por exemplo), gerando uma curva de aprendizado na produção de novas ferramentas para o editor.

O futuro

Gostaria de concluir esse artigo compartilhando um pouco do que penso sobre o futuro da criação de sites com o CMS WordPress.

Como dito, existe uma empresa bilionária por trás do CMS e isso por si só é um suporte de peso.

O fato da adoção ao CMS também estar ainda em crescimento nos mostra que essa jornada esta apenas no começo.

Sempre gostei de correlacionar o WordPress como se fosse o Chrome do mundo dos navegadores.

Mesmo que haja problemas conhecidos, ele é a ferramenta mais robusta e madura para resolver o problema da criação de sites.

Saber que a Automattic também esta de olho no futuro faz que com nós profissionais e usuários fiquemos muito mais tranquilos.

Ainda há muitas oportunidades no mercado em torno da ferramenta, seja na prestação de serviços, criação de produtos ou até mesmo na educação do uso do WordPress.

Então se você ainda não deu bola para saber um pouco mais sobre o WordPress, fique tranquilo, estamos apenas começando!

Se você gostou desse artigo, deixe um comentário abaixo para eu saber se estou no caminho certo. Se conhecer alguém que pode ser ajudado, não esqueça de enviar pelo WhatsApp ou em suas redes sociais.

Um abs!

Contratar um desenvolvedor WordPress: dicas para encontrar um bom programador


O artigo de hoje é voltado a ajudar pessoas e empresas que precisam contratar uma espécie rara de profissional no Brasil atualmente: um bom programador WordPress. Se você caiu nesse texto de paraquedas, considero que neste momento você esteja precisando tornar tangível suas ideias, seja ao programar uma nova funcionalidade do seu site, ao realizar manutenção nos plugins do WordPress, ou tornar aquelas maravilhosas telas desenhadas pelo seu designer em algo dinâmico.

Mesmo eu sendo o desenvolvedor WordPress líder da minha empresa e oferecer o serviço de desenvolvimento WordPress aos meus clientes diretamente, também lido diariamente com outros programadores que compõem nosso time na Xdevs enquanto colaboradores temporários ou permanentes. E essa experiência me permite compartilhar com você, caro leitor, quais preocupações devemos ter ao fechar um contrato com um desenvolvedor WordPress. São elas:

  1. Experiência em programação com WordPress
  2. Auto-gestão
  3. Qualidade de entregas
  4. Disponibilidade
  5. Conclusão

Experiência em programação com WordPress

Parece algo básico, mas muitos profissionais que se consideram desenvolvedores não conhecem de forma suficiente o CMS ao ponto de estarem habilitados a estender o WordPress e tornar o sistema mais robusto. Ou ainda, até conhecem um pouco dos “standards” do core da feramenta mas não possuem background técnico que permita o projeto se desenvolver de forma salutar ao longo do tempo. E isso pode gerar muito retrabalho e dor de cabeça quando se busca um apoio técnico para implementar suas ideias e projetos.

Para diminuir os ruídos, ao anunciar oportunidades, costumo explicitar as habilidades que espero do programador. E durante a entrevista, que geralmente faço utilizando o software Appear, pergunto ao profissional qual foi o código, a solução, que deu mais orgulho durante a sua implementação. Geralmente este é o momento em que as pessoas se esquecem de um suposto nervosismo e se abrem de forma genuína. E também é nesse momento que você sabe se esta conversando com um verdadeiro programador (essa dica veio do amigo Henrique Bastos). Também faço uma análise detalhada de cada item do portfolio do entrevistado, buscando descobrir as nuances dos projetos.

Auto-gestão

Para aumentar ainda mais o filtro, busco sempre contratar programadores que já prestaram serviços e entregaram projetos novos nos últimos 6 meses. Isso é um forte indicador que de uma forma ou de outra, esses profissionais praticam algum tipo de auto-gestão para conseguirem passar pelas fases comuns a projetos WordPress.

A auto-gestão é muito importante, ao menos pra mim, que não tem o luxo de microgerenciar recursos. Minha relação com programadores e clientes é sempre transparente e os riscos dos projetos são diluídos ao quebrar os projetos em pequenas e constantes entregas, tornando o ciclo de planejamento x implementação x conclusão muito mais otimizado.

Qualidade de entregas

Durante uma análise detalhada do portfólio do programador eu realizo uma inspeção do código programado (pelo menos a parte visível, o frontend). Entendo como ele raciocina para desenvolver CSS, JavaScript e HTML. Uma boa performance nesse quesito não garantirá que você terá sucesso na realação com o programador mas ao menos te dará insumos para decidir corretamente pelo profissional mais preparado.

Disponibilidade

Neste ponto eu irei discorrer apenas sobre a modalidade de contratação que eu executo, em que prioriza-se o trabalho sendo executado de forma remota, ou seja, direto do local do contratado. Na maioria dos projetos em que não existe a necessidade de atendimento emergencial, meu acordo com o programador é que ele esteja disponível algumas vezes na semana (geralmente 2 dias) dentro de uma janela de tempo, para que possamos nos reunir e tirar algumas dúvidas. Em geral essas reuniões acontecem nas segundas e sextas-feiras para planejamento e alinhamento de tarefas respectivamente.

Também peço que os e-mails enviados em horário comercial sejam respondidos em até 3 horas e que eu possa telefonar para o contratado dentro de uma janela de tempo. Isso tudo é acordado previamente e segue obviamente o bom senso. É bem diferente das contratações tradicionais, onde o fornecedor precisa “bata o ponto” em algum local. Eu acredito que o futuro do trabalho é ser realizado de forma remota e que as pessoas devem amadurecer para esse caminho, sejam elas empresárias ou fornecedoras.

Conclusão

Se chegou até aqui neste artigo, dou meus parabéns. Agora você esta minimamente com chances de não errar na sua futura contratação. Digo isso pois cada contratação é uma aposta e nós como empresários devemos pelo menos diminuir os riscos de fazer algo errado.

Como bônus, fica mais uma dica para que você possa testar profissionais rapidamente e encontrar aquele ideal para o seu negócio: ofereça contratos pequenos de 1 mês, para que ambas as partes possam se conhecer e decidir se devem continuar na parceria.

E aí, gostou desse artigo? Se precisar trocar uma ideia sobre o tema ou até mesmo contratar um programador WordPress, pode falar com a Xdevs, tá? Nós podemos te ajudar.

Créditos: Photo by Jefferson Santos on Unsplash

Reiniciar é preciso


Anos atrás eu sentia orgulho por trabalhar igual a um burro de carga, sem férias nem descanso. Parece mentira mas ao fazer 30 anos uma chave em minha mente se ativou e eu passei a priorizar uma série de outras coisas, como por exemplo, ter tempo de qualidade comigo mesmo, minha família e amigos, além de cuidar da alimentação de do corpo. Férias e finais de semana passaram a fazer parte da minha rotina nos últimos 2 anos visando “zerar o buffer”, liberando minha mente e corpo para focar nos desafios que surgem durante a jornada empreendedora.

Passei os últimos 12 dias em férias e aproveitei para refletir sobre rotina e propósito. A tendência é nos envolvermos com uma série de atividades durante os dias, gerando uma sensação de falta de tempo. Eu cheguei a conclusão que a causa dessa sensação é justamente executar atividades que não condizem com o seu propósito. Até porque, por experiência própria, mesmo as atividades menos prazerosas geram uma boa sensação se estão relacionadas a seus objetivos.

Sendo assim decidi rever todas as atividades que estou envolvido hoje, visando alinhar e manter apenas as que tem relação com meus objetivos. Como dizem, menos é mais, e eu preciso focar naquilo que realmente esta alinhado ao meu propósito. Mas antes de passar o facão em afazeres não tão prioritários, preciso repensar e redefinir o meu propósito.

Então é isso, espero compartilhar minha jornada e evolução com você, se possível receber feedbacks e insights sobre essa caminhada.

Eventos e WordPress


Após a gravação de mais um episódio, percebo o quão legal é acordar cedo todas as terças-feiras para produzir conteúdo. As vezes não damos valor para as pequenas coisas da vida, então me peguei hoje me sentindo orgulhoso e agradecido. O Mercado WP é uma iniciativa de marketing mas também é uma tentativa de evangelizar uma ferramenta que eu tanto gosto de trabalhar. Acho que quando estamos apaixonados e envolvidos por alguma coisa, fazemos de tudo para aplicar nosso melhor naquilo.

Enfim, sem mais enrolação, você sabia que é possível construir sites de eventos inteiramente com o WordPress? E até é possível vender os tickets de forma online? No episódio dessa semana, discorremos por alguns cases da Xdevs e da empresa do meu amigo Cristiano Santos, a Kamus e compartilhamos dicas e insights para os empresários que pretendem apoiar seus eventos na plataforma.

Confere lá, não deixe de curtir, compartilhar, comentar e se increver em nosso canal!

E-Commerce com WordPress: uma breve introdução


Como já esta virando rotina, toda quarta eu apareço para anunciar um novo episódio do MercadoWP. E no episódio dessa semana, resolvemos aprofundar um pouco mais no desafio que o empresário poderá enfrentar ao decidir levar sua operação offline para o online.

Os benefícios de ampliar sua operação através da Internet são inúmeros. O pensamento é semelhante ao de abrir uma nova filial, porém os desafios também são diferentes e é preciso se adaptar para atender a demanda crescente de consumidores exigentes. No vídeo conseguimos trazer alguns exemplos de experiências com clientes e vários insights para te ajudar no dia-a-dia.

Confere lá, não deixe de curtir, compartilhar e comentar!

Falamos de cursos online e da era do conhecimento


Vivemos uma grande época e isso me deixa muito empolgado. A época do compartilhamento de conhecimento. Como sou muito curioso e adoro aprender, preciso da ajuda da dona Rê pra manter meu foco e direcionar meus estudos para os nossos objetivos pessoais e da empresa. Mas se eu pudesse, passaria os dias aprendendo coisas online, mesmo que não fosse de uso prático.

Hoje, é muito mais fácil fazer com que as pontas se conectem para trocar conhecimento: aqueles que tem algum domínio específico com os quem tem interesse de aprender. E a razão disso é o avanço da tecnologia e a facilidade de uso das plataformas.

Uma das plataformas que mais ajudam a realizar esse processo é o meu querido WordPress. E no episódio dessa semana, meu amigo Cristiano Santos e eu falamos de cases de cursos offline e online que fazem uso do WordPress para levar sua mensagem a seu público. Confere lá, não deixe de curtir, compartilhar e comentar!

Sobre o Mercado WordPress e projetos paralelos


A noite é chuvosa, o som é Bill Evans e infelizmente, o vinho acabou. Mas excitação de iniciar um novo projeto esta muito vívida. Após 4 tentativas de gravação pela internet, hoje finalmente lançamos o primeiro episódio de um projeto muito desejado por meu amigo Cristiano Santos e eu: o Mercado WordPress.

Após 14 anos de existência, o sistema finalmente chega em sua versão 4.8 (apelidada de “Evans”, em homenagem ao pianista compositor de jazz já mencionado no início do artigo). Essa versão traz algumas novidades importantes na gestão de Widgets, que torna a vida dos editores de conteúdo do mundo inteiro muito mais fácil.

Pretendemos levar ao público deste vlog semanal temas que nos rodeiam diariamente, relacionados a negócios que rodam em cima do nosso amado CMS, o WordPress. Neste episódio abordamos as novidades da versão e também os cuidados que devemos ter ao atualizar o WordPress e seus plugins.

Sem mais delongas, confere aqui embaixo no player, e não deixa de visitar nosso site em MercadoWP.com.br.

Diversidade e comportamentos


10 de Abril – São Gonçalo – Rio de Janeiro

Nessa jornada empreendedora eu já atendi clientes dos 4 cantos do globo. É muito interessante ter de lidar com as mais variadas culturas, meios de se comunicar, idiomas (o Inglês é o padrão mas as vezes preciso usar o Espanhol) e costumes distintos. Essa diversidade tem me ajudado a entender mais o ser humano, um dos meus grandes interesses aqui no planeta. Entender melhor o outro, aceitar a diversidade de pensamentos, oferecer valor para sociedade, são atividades que venho buscando aprimoramento contínuo.

De todo modo, por mais distinto que o ser humano seja em cada canto do globo, seu cerne permanece semelhante. É interessante observar a gentileza, a satisfação, a preocupação, e quando algo dá errado, o descontentamento. Você pode falar cantônes, mas seu comportamento tende a ser igual a um americano habitante do Caribe.

O que torna mais desafiador para a minha geração é lidar com a velocidade e praticidade das gerações anteriores e posteriores. Minha geração é aquela dos anos 80/90, ou seja, estou entre aqueles que acompanharam a transformação do mundo pela tecnologia e se adaptaram, um pouco mais distante da geraçao dos meus pais, e talvez um pouco mais próximo dos jovens que já nasceram com muitas das coisas que utilizamos hoje.

Se a nova geração é bastante prática, direta e versátil, a anterior ainda segue seu próprio ritmo, e é preciso aceitar e buscar o equilíbrio nas relações. O fato é que os fundamentos tendem a permanecer os mesmos e cabe a nós (dessa geração do meio) buscar a ponte entre eles. Levar mais praticidade para os antigos, mais parcimônia para os modernos. Pelo menos é isso que eu tento fazer.

Enfim, toda essa ladainha é para dizer que amanhã terei mais uma reunião presencial, em outra cidade. Sempre que preciso sair do conforto da minha casa, todos esses questionamentos me vem a cabeça, como versatilidade, praticidade, etc. Mas como disse, é preciso buscar o equilíbrio, e trabalhar as questões sempre mostrando o lado positivo de se poupar tempo e dinheiro, evitando deslocamentos desnecessários.

Por enquanto é isso, até mais.

Hábitos, processos e progresso


9 de abril – São Gonçalo – Rio de Janeiro

Opa, tudo bem? Desculpe a poeira, mas é que eu estou voltando. Tem muita coisa acontecendo na minha vida e eu sinto que é o momento de tomar nota, tanto para me ajudar a refletir durante a caminhada quanto para buscar uma reflexão mais aprofundada.

E nada melhor do que voltar a escrever. Deve ser a enésima vez que tento criar esse hábito, mas não me envergonho de assumir ter falhado todas as vezes anteriores. Escrever é uma atividade que me dá prazer, me faz refletir, mas que não se tornou um hábito em minha vida. Como eu acredito que hábitos são apenas repetições naturais do nosso dia-a-dia, vou novamente tentar tornar essa atividade prazerosa em um hábito.

Dito isso, meu compromisso até o dia 31/12/2017 será publicar um artigo por dia neste humilde espaço. Faça chuva ou faça sol, tendo conexão ou não, inspiração ou não, eu estarei por aqui, compartilhando minhas maluquices. O processo que eu decidi adotar para moldar esse novo hábito é o seguinte: após o final do dia, por volta de 20h, irei consolidar minha rotina produzindo um artigo com algum assunto que esteja me atazanando.

O que desejo obter ao final desse projeto é possuir a naturalidade de me expressar via texto e audio (??). Afinal, todo empresário que se preze precisa saber vender seu peixe muito bem. Considero essa atividade como uma das mais básicas no amadurecimento empresarial. E não é só isso. Saber comunicar-se bem obviamente também melhora uma das grandes deficiências da humanidade que é saber ouvir. Imagina a quantidade de conflitos evitados se as pessoas se esforçassem para ouvir e comunicar melhor?

Ah sim, tem dia que não vai ter um texto tão elaborado porque eu pretendo gravar audio mesmo. Quero voltar a praticar outra paixão do passado, podcast! Sempre fui fã de rádio, e com a chegada da internet eu virei fã de podcast naturalmente. Já tive alguns, já participei de outros, e nos últimos 5 anos estacionei no lado consumidor. Agora pretendo retomar a produção de podcasts, sem um formato definido ainda. Vamos ver que bicho que dá.

No mais é isso, sigo focado em construir minha empresa ao lado de minha sócia preferida (a minha esposa), gerando valor a nossos clientes, aprendendo e melhorando dia após dia. Esse é o espírito que nos guia para alcançarmos nossa meta anual. Sim, temos meta! Espero contar com seus pitacos por aqui também. Se você estiver lendo essas linhas, é porque você é meu amigo e tem total liberdade para opinar.

Te vejo por aí.