Skip to main content

Tudo que uma loja virtual não deve fazer na internet

Inspirado no artigo do Paulino Michelazzo, onde ele relatou sua frustração ao tentar se relacionar com a empresa Itapemirim enquanto comprava uma passagem de ônibus, tomei motivação para contar também a minha frustrada tentativa de comprar na loja on line Ricardo Eletro.

Propaganda

Sou um heavy user de internet e tento na maioria das vezes adquirir os produtos que necessito através dela. Pesquiso opiniões, vejo o menor preço, descontos em cartões de crédito e ao comprar, costumo receber os produtos em minha casa na maior comodidade possível, evitando tempo gasto com trânsito e deslocamento ao ter que comprar em lojas físicas. E o mais importante é que NUNCA tive problema algum nesse processo. Até que resolvi ceder a PROPAGANDA bem feita da Ricardo Eletro. O mote deles é que “Preço se faz assim” e foi a partir desse foco que fui movido a me relacionar com eles. Esperava que por um bom preço, adquirisse um produto de qualidade e recebesse devidamente em minha casa tal produto escolhido (uma máquina de lavar, neste caso).

Prazo furado

O primeiro e grave erro da loja virtual Ricardo Eletro foi o de não cumprir o prazo (e bota prazo) estabelecido de 5 a 7 dias para a entrega do produto. Assim que o prazo se esgotou, entrei em contato através de um número telefônico que não era gratuito (custo de ligação local). A informação passada pelo atendente foi que poderia ter ocorrido um problema de informática, pois no sistema deles o produto já havia sido liberado para entrega, e eles não entendiam como a transportadora não havia entregue. A loja se comprometeu a retornar o contato com prazo e solução do problema no mesmo dia. Você recebeu o contato ? Nem eu. A empresa errou comigo 2 vezes no que tange a prazo.

Falha de comunicação

Entrei em contato no dia seguinte, informando a conversa do dia anterior e solicitando uma posição, mas durante a primeira chamada a “ligação caiu”. Na segunda tentativa, a loja virtual informou que realmente houve um problema de informática que causou falha de comunicação e pediu mais 10 DIAS para entregar o produto. Após 7 dias de espera, deveria esperar mais 10. Fiz o cancelamento na hora, solicitei estorno do valor pago no cartão de crédito e fui atendido desta vez, prontamente.

Falha de comunicação o retorno

Passado alguns dias, recebo um e-mail do sistema da loja virtual, informando que o produto havia sido despachado para a transportadora (?!?!?!). Achei que poderia ser mais um erro do sistema. Dois dias depois, o porteiro do meu prédio recebe a máquina de lavar. Entrei em contato mais uma vez e o atendente informa que a mensagem de cancelamento não acontece de forma automática, e talvez o galpão não tenha sido informado de não entregar mais o produto (?!?!?!?!).  Será que eles não utilizam tecnologia para essa troca de informação acontecer ?

Conclusão

O fato é que realmente a compra foi estornada do meu cartão e agendei a retirada do produto pela empresa. Porém, esperava um interesse maior da loja em me vender. Afinal, estava fazendo uma compra de R$ 900 e ainda pretendia comprar um microondas. Tudo leva a crer que quando há um erro em que as coisas fogem do normal, a empresa não tem profissionais treinados suficientemente para encantar e reter o cliente. Ninguém tem a informação correta e não há planos de contingência. A verdade é que a loja virtual Ricardo Eletro perdeu um possível cliente, e certamente outros vários, pois eu e meus amigos aqui de casa estamos em campanha na propaganda negativa para empresa. É o que se pago quando não se faz o trabalho da maneira correta.

Quero você empreendendo também

 

Olá amigos, estamos de volta. Após um tempo sem escrever, por não estar em plena forma da inspiração, hoje encontrei motivação enquanto tomava meu primeiro banho do dia. Estava pensando sobre qual era a minha missão de vida, ou pelo menos, a missão mais importante para os próximos anos. Sem sombra de dúvidas, concluí que além dos softwares sociais que pretendo e estou para lançar, também deveria ajudar os meus amigos.

Mas que tipo de ajuda é essa ?

Você vai entender rapidamente o que eu quero dizer: como sabem, me tornei freelancer e tomei uma atitude que para muitos foi considerada extrema ou louca, ao me demitir de uma grande empresa (Globo.com) para trabalhar de forma autônoma. Isso foi feito sem qualquer planejamento (coisa que eu não aconselho jamais) mas por sorte minha e bela postura da empresa, me foi pago os mesmos direitos que pessoas dispensadas recebem (exceto liberação de FGTS e auxílio desemprego, logicamente), o que me forneceu uma certa segurança financeira caso eu não conseguisse um job nos 3 meses subsequentes.

Então, falando da ajuda que é o tema central deste tópico, eu pretendo orientar meus amigos a progredirem, a virarem páginas importantes de suas vidas. Quero mostrar como é bom ser empreendedor e ajudá-los também na busca da independência financeira. Muitos deles atualmente reclamam de suas empresas, chefes ou superiores, colegas e subordinados. E essas reclamações são os primeiros indícios de pessoas não satisfeitas. Estar insatisfeito é muito ruim, pois além de causar danos a sua própria saúde, deteriora o convívio social e evapora o gosto pelo trabalho. Muitas das vezes, mudança de equipe, promoções ou eventos que a empresa proporciona conseguem inserir pílulas de motivação, mas a certeza é que, como qualquer pílula, a duração é temporária.

Sendo assim, será que chegou a hora de mudar de empresa ? Ou melhor ainda, se tornar a sua própria empresa, seu próprio chefe ? Veja o lado positivo:

  • Você poderá ganhar as horas que perde no trânsito trabalhando de casa ou mesmo se for abrir um escritório, faça-o ser perto de casa, mais uma vez para evitar este problema de traslado;
  • As horas ganhas ao evitar trânsito poderão ser usadas para estudos ou lazer;
  • Aquela galera chata que enchia seu saco não estará mais por perto e se precisar contratar alguém, chame alguém melhor que você para trocar experiências profissionais e se tornar um melhor profissional. Você está no controle e na gestão;
  • Você ganhará muito mais jogo de cintura na área de negócios, pois irá negociar diretamente com clientes e poderá escolhê-los como parceiros ou não, transformando a relação cliente x prestador de serviço em um processo duradouro, contínuo e menos burocrático;
  • Agora não existe mais  aquele processo burocrático de pedir promoção, ser avaliado e não adiantar nada, pois você poderá ganhar aumentos salarias conforme o seu rendimento e crescimento empresarial (você é sua empresa);
  • Você poderá planejar qualquer viagem a trabalho, seja para conferências ou para procurar novos parceiros de negócio. Basta um bom planejamento;
  • Você poderá praticar esportes e atividades físicas, pois poderá ter um maior controle de suas horas de trabalho. Chega de reclamar que não pode cuidar de sua saúde!

Por um outro lado…

Nada na vida tem apenas lados positivos. Se você achou isso, está enganado completamente. Veja:

  • Você terá que ter um controle financeiro muito maior, e separar as contas de sua empresa das contas pessoais. O ideal é ter duas planilhas e controlar esse fluxo;
  • Você não terá mais um chefe cobrando, o que poderá criar um nível de procrastinação muito alto. Controle-se e foque no cliente, pois agora você é o único responsável pela sua produtividade;
  • Você poderá ter maus clientes, mas dispensá-los pode ser a saída para você continuar apenas com clientes que valorizam seu trabalho;
  • Você poderá tomar calotes;
  • Além da área financeira e administrativa, caso você venha a se tornar uma empresa formalizada, terá diversas outras preocupações, mas com ajuda do Sebrae você poderá tirar de letra;
  • Você precisará estar antenado no mercado sempre a procura de novas parcerias, negócios e soluções para seus clientes.

Concluindo

Pessoalmente, acho que o lado negativo tem mais sabor de positivo. Todas as atribuições mencionadas podem torná-lo um profissional muito melhor, uma pessoa mais equilibrada e centrada, fazendo com que seus objetivos sejam alcançados mais facilmente. Se mesmo com todas essas informações você ainda acha que ser sua própria empresa é uma dor de cabeça, que você não quer se preocupar com isso e está bom demais ter um salariozinho no final do mês, então por favor: seja meu amigo e não reclame mais perto de mim. Caso contrário, terá que me aturar te aconselhando a se tornar empreendedor até você tomar coragem para mudar de vida e enriquecer. Afinal, nunca conheci nenhum assalariado rico!

Fonte da imagem: Gettyimages